sexta-feira, 27 de novembro de 2015

¡Ah, si yo fuera Maradona!


Um encontro com lugares-mundos e palavras desconhecidas, um reencontro com meu ofício primeiro de historiadora, um puta bate-bola com o danisco do Romério Rômulo!

Dos meus maiores desafios como tradutora, vertendo pra o espanhol essa MARAVILHA que até Dadá diria MARAVILHA ¡AH, SI YO FUERA MARADONA! era eu bilíngue também, uai! - Romério Rômulo é inventivo na forma, na palavra e conteúdo, trás pra pelear no campo de Maradona gigantes da história e cultura mundial como Homero, Caravaggio, etcéteras... y brasileiríssimos como Lampião, Elomar, Cartola, Antônio das Mortes, Riachão e tantostantos outros.

Tem cordel, tem cinema, tem música, tem invenção, tem genialidade e sim, tem poesia e muita! Tem até glossário assinado por moi-même! J

Conheça alguns poemas do livro, publicados em Panorama Cultural de Suécia (versão em espanhol): http://www.panoramacultural.net/?pag=2443




E para adquirir é só enviar um e-mail para as Edições Dubolsinho capitaneada pelo danado que segura em burro brabo, o Sebastião Nunes:  editora@dubolsinho.com.br. Outra opção é ligar para (31) 3671-5443 e falar com a Joana.

domingo, 1 de novembro de 2015

tema pra diego



Louise Bourgeouis, Hairy Spider (music spider), State II of II, variant, 2001

 porque alguns nomes
são tão potentes
como melro e berloque

o êxtase e o precipício

porque do nome
calcanhar ou verdevinha
é tecido destino

fio em desfio
pronto a não-ser

porque do seu nome
morada e renda

 gossamer

alcanço a delicada e frágil
potência de dizer dídache
poíesis